Ilídio Ramos

cultural center . Ílhavo


source:  Ilídio Ramos . photos: irarquitectos (unless stated FG+SG)

The brief for the Ílhavo Cultural Centre requested the redesign of the public space in the town centre, inluding a new underground parking lot and a multifunctional facility with an auditorium, exhibition hall, technical offices and comercial spaces. All this had to work with the existing urban features. The Municipality of Ílhavo promoted the Competition ("Concurso de Ideias") from which the recently finished Centre evolved.










above pictures: FG+SG

































There is now a central town square, that provides a public open space, and the material used for the flooring is micro-cube of basalt from the Azores. This material, foreign to this part of the country, provides the "carpet" upon which the two new buildings of the Cultural Centre are set. The surrounding pavements are made of white calcareous rock, widely used throughout the city, thus regaining a sense of continuity - in colour, texture and luminosity - with the original surroundings.
The main function of the Cultural Centre takes places withtin the translucid glass box, with airy walls and ceilings, which allow warm and soft light to bathe the foyer. The scale of this two-floor building is closely related to that of the adjacent City Hall to the east, also filtering the hustle and bustle of the 25 de Abril Avenue.
The design of the auditorium - a box-in-box construction to maximize sound insulation - includes diffuser elements, for an adequate dispersion of the sound reflections. The introduction of variable acoustic mechanisms prepares this hall for events of different characteristics (music, cinema, theatre, dance, conferences).

LEGENDA TRADUZIDA
FACADE DETAIL
- Carbon-steel IPE profile 700 mm (treatment and fixing to the concrete structure according to the structural design drawings)
- Carbon-Steel tubular profile 160 mm (treatment and fixing to the concrete structure according to the structural design drawings)
- Opaline alveolar polycarbonate, U.V. protected on the outer face, type ‘Rodeca PC 2540-6’ + fixing accessories ‘Rodeca Ref. 2854’ and polycarbonate base reinforcements trough the whole perimeter with 3.5 m height type ‘Rodeca REF. 2891/2890’
- Aluminum profile type ‘Rodeca AL-System 2410’ supported with carbon steel profile with neoprene pads.


Promotor
CÂMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO

Designação
CENTRO CULTURAL DE ÍLHAVO
Local
Cidade de Ílhavo
Datas:
Concurso público, 2000
Construção, 2005-2008
Arquitectura e Coordenação
Ilídio Ramos
Colaboradores
Filipe Afonso, Paulo Pereira, Maria Pinto,
Rui Tavares
Desenho Gráfico
Rui Duarte
Fundações, Estruturas,
Instalações hidráulicas e Arruamentos
NEWTON, Consultores de Engenharia, Lda.
José Carlos Lino, Eulália Soares, Gonçalo Lopes,
Rui Enes, Graça Azevedo
Instalações Técnicas
RGA, Consultores de Engenharia, S.A.
António Ferreira, Luís Fernandes, Arnaldo Monteiro,
Arquitectura de Cena
INSTITUTO POLITÉCNICO DO PORTO
José Prata, Arquitecto, Ernesto Costa,
José Barreira
Acústica
INACOUSTICS, Lda.
Octávio Inácio
Maquete
Álvaro Negrello
Fotografia
Em obra: irarquitectos
Obra concluída: FG+SG

A partir do Concurso de Ideias promovido pela Câmara Municipal de Ílhavo, o programa do Centro Cultural evoluiu para o redesenho do espaço público do centro da cidade, com a inclusão de um parque de estacionamento em cave e de um espaço multifuncional com sala de espectáculos, sala de exposições, gabinetes técnicos e espaços comerciais à superfície e em articulação com as estruturas urbanas envolventes.
Assim, uma praça constitui o sentido desse espaço público aberto e o material do chão desta é o micro-cubo de basalto negro dos Açores que, exógeno ao ambiente da cidade, constroi o ‘tapete’ sobre o qual foram colocados os dois edifícios que albergam o equipamento cultural. Nos espaços de passeio envolventes foi utilizado o calcário branco, de uso corrente na cidade, retomando as relações de continuidade – de cor, textura, e luminosidade - com a atmosfera existente.
A função principal deste equipamento desenvolve-se na caixa vítrea e diáfana, de paredes e tecto ventilados a qual, introduz no foyer que enforma, uma luz natural temperada e de acalmia. Ao volume de dois pisos atribuiu-se uma escala de relação óbvia com o edifício dos Paços do Concelho a nascente e, filtra o movimento e ruído produzidos na Avenida 25 de Abril
No desenho do auditório - uma construção box-in-box para maximizar o isolamento sonoro - foram implementados elementos difusores para uma dispersão adequada das reflexões sonoras e a introdução de mecanismos de acústica variável relevantes para eventos de características distintas (música, cinema, teatro, dança, conferências).







0 comentarios :

Publicar un comentario en la entrada